Cirurgias Plásticas

Prótese de mama

ORIENTAÇÕES ESPECÍFICAS
antes_depoisVocê estará prestando uma inestimável colaboração a “você mesma” lendo com atenção as observações que faremos às inevitáveis perguntas que todas as candidatas a cirurgia de aumento das mamas costumam fazer ao seu cirurgião plástico.

A CIRURGIA DE AUMENTO DAS MAMAS DEIXA CICATRIZES?
Felizmente, esta cirurgia permite-nos colocas as cicatrizes bastante disfarçadas, o que é muito conveniente nos primeiros meses.

EM CASO DE SOMENTE COLOCAÇÃO DO IMPLANTE, ONDE SE LOCALIZAM AS CICATRIZES?
cicatrizesAlguns cirurgiões as situam no pólo inferior da mama e no sulco formado entre a mama e o tórax. Outros, na área da aréola, e até mesmo na axila. Desde os primeiros dias pós-operatórios poderá ser usado um “decote bastante generoso”, pois, as cicatrizes ficam bastante disfarçadas. Com o decorrer do tempo as cicatrizes vão ficando menos visíveis.

O QUE É A MASTOPEXIA? EM QUE CASOS SE INDICA ESSE PROCEDIMENTO?
A Mastopexia é a chamada suspensão das mamas. Ela é indicada em casos onde as mamas estão caídas (ptose mamária) e com excessos de pele e estrias, geralmente encontradas após a gravidez, amamentação ou perda de peso. Quando as mamas são pequenas, pode-se associar, para um melhor resultado e para se obter menores cicatrizes, a colocação de implantes de silicone nas mamas.

ATENÇÃO: A mastopexia deve ser encarada como uma PLÁSTICA DE MAMA e toda a sua complexidade, com diversos aspectos que a diferenciam da somente colocação de prótese. Além de um maior tempo cirúrgico e maiores custos com esse procedimento, outros aspectos devem se lembrados, como: mais cicatrizes, pós operatório mais trabalhoso e maior tempo para as novas mamas adquirirem sua forma mais definitiva.

COMO FICAM AS CICATRIZES, EM CASOS DE SUSPENSÃO DAS MAMAS (MASTOPEXIAS)?
Como nas ptoses mamárias existe um excesso de pele e a necessidade de suspender a aréola, as cicatrizes resultantes são, na maioria das vezes, em torno das aréolas e para baixo delas, podendo haver ainda uma pequena cicatriz horizontal em nível do sulco infra-mamário (o chamado “mini-T” ou “L”). O cirurgião deve analisar cada caso isoladamente, já que existe uma variação muito grande nas características das mamas de cada paciente, como tipos de pele, presença de estrias, graus de ptose, utilização de implante, e que determinam o resultado final de suas cicatrizes.

OUVI DIZER QUE ALGUMAS PACIENTES FICAM COM CICATRIZES MUITO VISÍVEIS.
Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao quelóide. Essa tendência, entretanto, poderá ser avaliada, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe são feitas uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Geralmente, pessoas de pele clara não tendem a esta complicação cicatricial; pessoas de pele morena têm maior predisposição ao quelóide ou à cicatriz hipertrófica. Isto, entretanto, não é uma regra absoluta. A análise dos antecedentes, como já dissemos, nos facilitará o prognóstico cicatricial, assim como a análise de eventuais cicatrizes prévias.

EXISTE CORREÇÃO PARA AS CICATRIZES HIPERTRÓFICAS E QUELÓIDES?
Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas, na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, com a evolução natural do período mediato da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida com o seu cirurgião, que fará a avaliação do estado em que se encontra a cicatriz.

E ESTRIAS, PODEM APARECER?
Dependendo do tipo de pele do(a) paciente e do quanto essa pele se estica com a inclusão das próteses, podem aparecer, sim, estrias. Essas podem ser antigas, que não estavam sendo antes percebidas, ou novas. A hidratação da pele e acompanhamento dermatológico são eficazes na prevenção e tratamento dessa patologia.

AS PRÓTESES SÃO COLOCADAS DENTRO DA MAMA OU POR BAIXO DELA?
protesesExistem 2 planos básicos de colocação das próteses, sendo ambos por baixo das mamas. O chamado plano subglandular é aquele em que as próteses são colocadas logo abaixo do parênquima mamário. O outro plano é chamado de submuscular, ou seja, abaixo do músculo peitoral, este que já se encontra por baixo do parênquima glandular. É o plano de eleição para pacientes com pele e parênquima mamário bastante delgados. O seu cirurgião plástico deverá discutir as vantagens e desvantagens sobre cada plano com o paciente, e, após o devido exame físico, definir o mais indicado.

COMO FICARÃO MINHAS NOVAS MAMAS, EM RELAÇÃO AO TAMANHO E CONSISTÊNCIA?
tamanhoAs mamas terão seu volume aumentado através da cirurgia, melhorando sua consistência e forma com a intervenção cirúrgica. É importante lembrar 2 coisas: 1- o implante pesa, e quanto maior o tamanho, mais pesadas ficarão as mamas, e, dependendo da pele, tenderão a cair ao longo do tempo; 2- o implante não é duro, muito pelo contrário. Os laboratórios procuram cada vez mais produzir implantes com características mais próximas de uma mama normal.

O seu cirurgião deverá estar habilitado de indicar o adequado tipo de implante para cada tipo de paciente. A decisão de escolha do volume final das mamas é em grande parte dependente da própria paciente. É interessante que haja harmonia das proporções corporais, sendo importante a avaliação da altura, biotipo, quadris, cintura e tórax.

A mama, assim operada, passará por vários períodos evolutivos, porém é interessante lembrar que nenhuma mama estará perfeita nas primeiras semanas de pós operatório.

EM QUANTO TEMPO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?
Apesar de o resultado imediato ser muito bom, somente na fase mencionada como “período tardio” é que as mamas atingirão sua forma definitiva. Existe um processo de queda natural das mamas chamado “báscula”, onde há uma mudança na conformação dos pólos superior e inferior, que depende de alguns fatores, como o tamanho prévio e final das mamas, constituição tecidual da glândula mamária e resistência individual da pele.

MINHAS MAMAS VÃO FICAR IGUAIS, NÃO É?
Na grande maioria das pessoas, uma mama não é igual à outra. Até no tronco e na região torácica existem assimetrias, portanto, mesmo após minuciosa avaliação e um criterioso procedimento cirúrgico, podem existir pequenas diferenças entre uma mama e a outra. A resposta de cicatrização de um lado também pode ser diferente do outro, ocasionando também essas assimetrias.

QUAL O TIPO DE MAIÔ DE BANHO QUE PODEREI USAR, APÓS A CIRURGIA?
No período imediato, mediato ou tardio, qualquer tipo de maiô, de 1 ou 2 peças, desde que a peça superior não fique muito justa. É claro que, após o amadurecimento das cicatrizes, os maiôs poderão ser mais “generosos” ao seu critério.

NO CASO DE GRAVIDEZ, O RESULTADO PERMANECERÁ OU FICARÁ PREJUDICADO? TEREI ALGUM PROBLEMA PARA AMAMENTAR?
Na gravidez ocorrem mudanças hormonais e corporais que podem acarretam em algum prejuízo do formato mamário, principalmente devido ao ganho de peso e amamentação. Uma boa resistência de sua pele é uma aliada na manutenção da forma mamária.

Há evidências científicas que mostram uma diminuição da probabilidade de amamentar em pacientes que realizaram cirurgias nas mamas, principalmente as de remodelamento mamário, como nas suspensões. Pondere a possibilidade de não poder amamentar ao decidir o melhor momento para realizar essa cirurgia.

O PÓS-OPERATÓRIO DESTA CIRURGIA É DOLOROSO?
Geralmente NÃO. Este pós-operatório é bastante confortável, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange à movimentação dos braços, nos primeiros dias. Eventualmente poderá ocorrer manifestação dolorosa, que facilmente cederá com os analgésicos receitados pelo seu médico. Evite a automedicação.

HÁ PERIGO NESTA OPERAÇÃO?
Raramente a cirurgia plástica de aumento mamário determina sérias complicações. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente, além de ponderarmos sobre a conveniência ou não da utilização das próteses de silicone, assim como sobre suas eventuais complicações.

QUAL O TIPO DA ANESTESIA UTILIZADA?
Anestesia peridural ou geral; dependendo do caso.

QUANTO TEMPO DURA O ATO CIRÚRGICO?
Em caso de somente a colocação dos implantes, em média de 1 a 2 horas. Quando se associa a suspensão das mamas a cirurgia se prolonga para 2 a 4 horas. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?
Cerca de 24 horas.

SÃO UTILIZADOS CURATIVOS?
Sim. Curativos elásticos e modelantes, especialmente adaptados a cada tipo de mama. São trocados diariamente pela própria paciente ou após a primeira revisão, sem qualquer dificuldade, a partir do 3º. ao 5º. dia de pós-operatório.

QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS?
Geralmente são utilizados pontos que são retirados por volta do 14º. dia pós-operatório.

QUANDO PODEREI TOMAR BANHO COMPLETO?
Dependendo do caso, até no dia seguinte à cirurgia. Tudo irá depender da evolução da sua cirurgia, assim como o tipo de curativos, observando-se apenas os cuidados especiais que serão ensinados pelo seu médico.

QUAL A EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRLA?
Você não deve se esquecer que, até que se atinja o resultado almejado, as mamas passarão por diversas fases. Se lhe ocorrer preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado definitivo antes do previsto”, não faça disto motivo de sofrimento. Tenha a devida paciência, pois seu organismo se encarregará espontaneamente de dissipar todos os transtornos imediatos que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma pessoa que não se furtará à observação: // SERÁ QUE ISTO VAI DESAPARECER MESMO?// É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser transmitida ao seu médico, que lhe dará os esclarecimentos necessários para sua tranqüilidade.

QUANDO PODEREI RETORNAR AOS MEUS EXERCÍCIOS?
Depende do tipo de exercícios. Aqueles relativos aos membros inferiores poderão ser reiniciados entre 10 a 15 dias, evitando-se o “alto impacto”. Os exercícios que envolvam o tórax, geralmente devem aguardar além de 30 a 45 dias. Orientações sobre movimentos mais específicos deverão ser perguntadas ao seu cirurgião.

QUE VEM A SER O ENDURECIMENTO DAS MAMAS (RETRAÇÃO DA CÁPSULA)?
É uma retração exagerada da cápsula fibrosa normal (que se forma em torno da prótese), que determina certo grau de endurecimento à região, quando palpada. Alguns casos estão sujeitos a tal retração; entretanto, se isto ocorrer, as próteses poderão e deverão ser retiradas, através das mesmas cicatrizes. Posteriormente, ambos, cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outras próteses, um diferente plano de introdução ou outra conduta que melhor se adapte ao caso. A retração da cápsula da prótese nunca reflete imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento reacional atípico do organismo da própria paciente, secundário à presença das próteses de silicone. Não cabe ao cirurgião qualquer responsabilidade em gastos futuros com reintervenções que porventura sejam necessárias, decorrentes de retrações capsulares, endurecimento das mamas, rupturas tardias das próteses ou seu eventual esvaziamento. Atualmente o número de retrações de cápsula diminuiu bastante, devido ao advento de inovações técnicas introduzidas na cirurgia plástica, principalmente no que se refere aos revestimentos das próteses.

PODEREI FAZER MINHAS ULTRASSONOGRAFIAS E MAMOGRAFIAS APÓS O IMPLANTE?
Sim. Os exames de triagem para câncer de mama de rotina para qualquer pessoa poderão ser realizados sem prejuízo à visualização do tecido ou parênquima mamário. Porém é aconselhável que a paciente os realize em clínicas especializadas, com profissionais capacitados na área.

MINHA PRÓTESE TEM QUE SER TROCADA? E SE ELA ROMPER, O QUE OCORRE?
Provavelmente em algum momento de sua vida ocorrerá a troca desses implantes. A gravidez, amamentação e flacidez da pele ao longo dos anos mudarão a forma dessas mamas e um procedimento cirúrgico poderá ser indicado. A tecnologia utilizada na fabricação dos implantes permite o não reconhecimento do seu corpo ao material de silicone, fazendo com que o período de duração de uma prótese seja bastante prolongado. A troca só é obrigatória em casos de complicações, como nas retrações de cápsula citadas anteriormente. Em casos de rompimento, que são bastante raros, o gel coesivo existente na prótese não se extravasa, ficando localizado no mesmo lugar. Há indicação absoluta de troca nesses casos, até porque muito provavelmente as mamas irão apresentar alguma deformidade.